• CETI

O que é a endometriose?



A endometriose é uma doença que afeta cerca de uma em cada dez mulheres em idade fértil em todo o mundo. Muitas vezes mascarada por sintomas semelhantes ao da menstruação, torna o seu diagnóstico difícil.


Como explica o Prof. Doutor João Luís Silva Carvalho, Diretor Clínico do CETI, “esta patologia deriva do facto do endométrio, que todos os meses se forma para proporcionar a implantação do embrião e que todos os meses é expulso no período menstrual, quando não ocorre gravidez, migrar para fora da cavidade uterina e implantar-se na cavidade pélvica nomeadamente nos ovários, no intestino e no peritoneu”.


O que é o endométrio?


O endométrio é o tecido que reveste o interior do útero e a sua espessura varia ao longo do ciclo menstrual, sendo regenerado ciclicamente através de um processo de descamação e regeneração. Esta descamação permite a renovação de todos os elementos do tecido endometrial.


Em que órgãos se localiza a endometriose?


A localização normal da endometriose – doença caracterizada pela presença do endométrio –é, por exemplo no peritoneu pélvico, trompas, ovários, bexiga, apêndice, intestinos ou, até, no diafragma. Em casos mais raros, a endometriose também se pode manifestar em órgãos mais distantes, como o pulmão ou o cérebro.


Nas várias localizações extra-uterinas da endometriose, o tecido endometrial sofre transformações semelhantes às que ocorrem no útero durante o ciclo menstrual, que se traduzem, mais frequentemente, em dor e infertilidade.


É importante referir que a endometriose afeta mulheres a partir da primeira menstruação e pode estender-se até a última.


A endometriose causa infertilidade?


De acordo com as estimativas internacionais, 50% das mulheres com endometriose têm infertilidade e 25% a 45% dos casos de infertilidade feminina têm a endometriose como uma das principais causas.


O processo inflamatório crónico da endometriose, que provoca consequentemente um processo espontâneo de cicatrização, origina a formação de aderências pélvicas, gerando mudanças anatómicas que podem resultar na obstrução das trompas, responsáveis pelos primeiros acontecimentos da fecundação, impedindo assim o seu pleno funcionamento.


Além disso, as células inflamatórias podem afetar a qualidade do óvulo e do espermatozoide.


Quais são os sintomas da endometriose?


Os sintomas variam de acordo com o local onde o tecido endometrial se encontra, porém, os sintomas mais comuns para uma endometriose na cavidade pélvica são:


  • Cólicas;

  • Dores abdominais;

  • Hematúria (sangue na urina);

  • Retorragias (hemorragias retais).


Como se deteta a endometriose?


A endometriose é uma doença de diagnóstico clinico baseado na história e no exame ginecológico. Embora de forma limitada pode ajudar a ecografia pélvica e em situações específicas a ressonância magnética ou a laparoscopia diagnóstica.


Como se trata a endometriose?


De acordo com o Prof. Doutor João Luís Silva Carvalho, existem três tipos de tratamento, conforme o objetivo. O tratamento da endometriose pode ser:


  • Hormonal, que serve para impedir a progressão da doença;

  • Cirúrgico, por cirurgia minimamente invasiva laparoscópica, que é a principal forma de tratamento desta doença. A exérese cirúrgica resolve o problema das lesões endometrióticas e eventualmente dos órgãos afetados;

  • Recorrendo a técnicas de Procriação Medicamente Assistida, para ultrapassar o problema da falência da reprodução (infertilidade).

89 visualizações

CONTACTOS

Avenida da Boavista, nº 2300, 3º

4100 -118 Porto

226 076 530

i006572.png

© COPYRIGHT CETI 2006-2019 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - DESIGNED BY MAR DIGITAL